• Ana Paula Ostapenko

Artista plástico de MS se destaca no Paraná com esculturas que exaltam a fauna


Quem transita pelas ruas de Arapongas, com certeza já notou que a ‘Cidade dos Pássaros’ está cada dia mais fazendo jus ao título que carrega, já que alguns pontos do município já expõem esculturas de aves típicas da região, esculpidas pelo artista plástico sul-mato-grossense Cleir.

O trabalho, iniciado em junho de 2021, aguçou a curiosidade dos moradores e turistas e recentemente, Cleir surpreendeu a cidade ao apresentar as primeiras, das 13 obras de pássaros nativos que em breve, farão parte da rotina da cidade.

Com trabalho em ritmo acelerado – muitas vezes passando das 12 horas diárias de dedicação, Cleir entregou cinco esculturas, localizadas na região central da cidade. O casal de arapongas, localizado no cruzamento da Avenida Arapongas e rua Rouxinol; as duas araras vermelhas, localizadas na Praça Mauá e a araponga, localizada entre a rua Tangará e a Avenida Arapongas, foram entregues antes do Natal, como um verdadeiro presente à cidade que acolheu o artista sul-mato-grossense de braços abertos. “Fiz questão de entregar as esculturas da região central antes do fim do ano e para isso, trabalhei muito, em ritmo acelerado. Foi meu grande agradecimento a esta cidade que tem sido meu lar nos últimos meses. Estou muito feliz com a repercussão, o carinho das pessoas que sempre trazem palavras de apoio, fazem fotos e demonstram gostar do resultado”, relata Cleir.

Sempre atento aos detalhes, Cleir estuda minuciosamente o comportamento dos animais para que sua entrega seja a mais próxima possível da realidade. As araras de asas abertas, simulam o voo da ave, que exibe suas cores. Já o casal de arapongas, atrai olhares por um ser exposto de bico aberto e outro fechado. Além disso, cada um traz nuances de cores diferentes, diferenciando o macho da fêmea. “O que está com o bico aberto é o macho, cantando para a fêmea. As cores e a diferença de tamanho também foram estudadas para se assemelhar ao animal na natureza”, revela o artista.

Exemplo de admiração pelo trabalho do artista, a professora Aline Caroline de Lima da Silva, foi além da contemplação do resultado final. Junto à família, visitou o artista enquanto ainda projetava as obras em desenhos, acompanhou as várias etapas do processo e ainda pesquisou mais sobre sua trajetória, o que fez aumentar sua admiração por Cleir. “Foi fantástico ver o ponto inicial e entender cada etapa até o final, desde desenhar o pássaro em tamanho real, soldar e esculpir. Cleir realiza um trabalho árduo e com muito gosto e o resultado é maravilhoso e está abrilhantando nosso município”, avalia a professora, que mora na cidade há 37 anos.

No início de 2022, Cleir inicia a concretagem das outras oito obras restantes. O Flamingo, já está em fase mais adiantada. A cidade receberá ainda esculturas de pavão, gaturamo, rouxinol, andorinha e gralha, todas com tamanho entre 2 e 3 metros.

Para o prefeito de Arapongas, o trabalho de Cleir, além de embelezar a cidade, ajuda no fortalecimento da cultura e da história regional. “Tínhamos o projeto das esculturas há três anos e não encontrávamos um artista com a aptidão para executar. Trata-se deum trabalho muito difícil e o Cleir está fazendo com muito talento. Agradeço a ele por colaborar com a história da nossa cidade e por ilustrar porque Arapongas é a Cidade dos Pássaros, o que vai auxiliar inclusive, quando as crianças forem estudar sobre o assunto na escola”, avalia Sérgio Onofre.

A dedicação ao trabalho é característica do artista, que apesar de muito bem recebido no Paraná, não esconde a saudade de casa. “Fui acolhido de braços abertos pelo povo de Arapongas, o que motiva muito a seguir o trabalho, mas com certeza sinto saudade do meu Mato Grosso do Sul, minha terra natal e minha grande inspiração e em breve estarei de volta”, revela Cleir.

Sobre o artista – Com quase 30 anos de carreira e obras em Mato Grosso do Sul (entre esculturas e painéis) em Campo Grande, Bonito, Corumbá, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã, Rio Verde de Mato Grosso, Bodoquena, Aquidauana, Ladário e Bataguassu, Cleir se destaca por seu amor à fauna regional, exposta em detalhes em cada obra.

No Estado, destacam-se obras como: Monumento Pantanal Sul (Tuiuiús do Aeroporto), em Campo Grande; Monumento do Sobá, em Campo Grande; Praça das Araras, também na Capital; Deusa da Justiça, em Campo Grande; Monumento Vale das Águas, em Bodoquena; Garça Branca, em Rio Verde; Índia Terena, em Aquidauana; Escultura Dourado, em Ladário; Monumento Tucunarés, em Bataguassu; Monumento das Piraputangas, em Bonito; Museu de Bataguassu; painéis da Arara Vermelha e Papagaio Verdadeiro, localizados há mais de 20 anos no Edifício 26 de Agosto, em Campo Grande e restaurados em 2019 pelo artista; Projeto Capivara Urbana, entre várias obras particulares, painéis e esculturas.

Arapongas será o município com o maior número de obras do artista em sua carreira, totalizando 13 em um único município.

13 visualizações0 comentário