• Ana Paula Ostapenko

Audiência Pública vai discutir necessidade de democratizar o acesso à Cannabis Medicinal


No dia 27 de abril (quarta-feira), a Câmara Municipal de Campo Grande sediará a Audiência Pública “Cannabis Medicinal: Direito à Saúde em meio ao Proibicionismo”. O evento éorganizado pela Associação Sul-Mato-Grossense de Pesquisa e Apoio à Cannabis Medicinal DivinaFlor em parceriacom o mandato da vereadora Camila Jara (PT). Com início às 18 horas, a Audiência contará com a participação dos médicos especialistas Dra. Anana Chaves e Dr. Wilson Lessa, do advogado Felipe Garcia de Nascimento Nechar, além de pacientes que tiveram sua qualidade de vida conquistada através do remédio, na figura de FabianneRezek, responsável por João Pedro. Essa é a primeiradiscussão em solo sul-mato-grossense em uma casa de Leis que aborda a temáticada Cannabis Medicinal, trazida pela também primeiraAssociação Terapêutica no estado, a Divina Flor. O objetivo é abastecer a discussão com informação e ciência acerca do remédio que é a Cannabis, tão necessário para diversas famílias. O evento é aberto ao público e terá transmissão ao vivo pelas redes oficiais da Câmara pelo Facebook e Youtube e também pela página da vereadora CamilaJara no Facebook. Para a vereadora Camila Jara (PT), o debate é válido e importante para esclarecer as dúvidas - muitas vezes colocadas pelo preconceito conservador - e para ampliar as possibilidades de tratamento e bem-estar dos pacientes. “A Cannabis Medicinal é autorizada em mais de 50 países.Seu uso tem sido estudadono tratamento de mais de 30 doenças e muitas apresentam resultados satisfatórios, mais até que os tratamentos convencionais, que geralmente são bem caros e causam efeitos colaterais. O Brasil, o Mato Grosso do Sul e Campo Grande não podem ficar para trás, precisamos começar a discutir as possibilidades e os caminhospara beneficiar mais pessoas”, defendeu. Diretora da Associação Divina Flor, Jéssica Camargo Albuquerque, espera que a Audiência Pública possa trazer a população em geral para mais perto do assunto e desfazertabus sobre o tema. “É necessário desconstruir o preconceito criadoem torno desta planta que só tem trazido benefícios a milhares de pessoas. É através desses espaços públicos que vamos conseguir levar informação e acesso a quem precisa”, pontuou. Outro diretor que estará no evento é Alexander Onça, que participou da fundação da Associação em conjunto com Jéssica e outros colaboradores. Para ele, a associaçãorepresenta uma luta contra o proibicionismo. “A associação surgiuda necessidade de


atender pacientes no estado que não tinham condições de arcar com o custo de medicamentos importados”, explica. Hoje, a Associação atende 354 pacientes humanos e 108 pets.


Antes da Audiência, a Associação prepara uma mobilização com os pacientes para chegaremjuntos ao evento na Câmara. A mobilização está marcada para às 16h20,com concentração na Praça das Águas (esquina da Av. Afonso Pena com Arquiteto Rubens Gil de Camillo).

6 visualizações0 comentário