• pedrodemoraesmartine

Calls: uma fascinante aventura narrada

Quando ouvi falar da série da Apple TV, Calls (Chamadas), esperava que fosse algo do tipo eu assistindo os atores ao telefone ou, supus, os ouvindo. Fiquei agradavelmente surpreso com o projeto de Fede Álvarez e sua forma inusitada de contar histórias na TV. Contando com o público e sua imaginação, o show nos obriga a ouvir as histórias contadas (com apenas o diálogo escrito na tela à medida que as conversas telefônicas se desenrolam) e imaginar o que está acontecendo no mundo desses interlocutores.


Começando com The End (o Fim), a série é tecida em conjunto, dando-nos os momentos finais que essas pessoas tiveram e compartilharam a jornada que o mundo percorreu (aproximadamente) no ano de 2020 - não esse que passamos na vida real no mundo. Eles estão lidando com outra coisa. O que eu adorei em Calls foi o uso do áudio em cada episódio. Começamos a série em um mundo baseado em ficção científica; o medo me deu calafrios enquanto ouvia Sara (Karen Gillan) explicar o que estava acontecendo do lado de fora de seu apartamento em Nova York.


Eu estava com medo até de cair do meu assento a cada episódio. Então o segundo me jogou em uma história de cortar o coração com Mark (Aaron Taylor-Johnson) e só podemos imaginá-lo lidando com as notícias novas. E tão rápido quanto nossas emoções mudaram entre esses dois episódios, somos lançados para um loop estranho em Pedro Across the Street com Patrick (Mark Duplass) e Pedro (Pedro Pascal).


E o show continua assim, brincando com nossas emoções a cada novo episódio, e cada virada bizarra me fez desejar mais dessa história. Eu me preocupei com cada um desses personagens que tíve um vislumbre e quis saber sobre suas vidas, o que eles estavam dispostos a mudar e como eles estavam lidando com o mundo claramente sofrendo com uma epidemia inimaginável.


Não quero entrar em spoilers da série porque assistir/ouvir essas histórias se desdobrando vale absolutamente seu tempo e energia. As chamadoas individuais ajudam a tecer uma imagem mais ampla, e o aspecto narrativo é diferente de tudo que eu já experimentei antes. Claro, tem a mesma energia de podcasts de ficção com script, mas há algo sobre Calls que é ainda mais atraente.


Talvez sejam os aspectos visuais deste show emparelhados com o método auditivo de contar histórias que nos dá, como público, rédea livre para imaginar o que está acontecendo por nós mesmos. Ou talvez seja apenas porque recebemos tão pouco sobre esses personagens que os torna fascinante; e não houve um único episódio de Calls que eu não gostasse. Cada um deles pintou uma história maior e, quando finalmente chegamos ao tema abrangente, foi como um soco no estômago da melhor maneira possível.


Além de as histórias serem absolutamente brilhantes, o elenco de Calls é uma coleção de atores que cativou os fãs continuamente. De Lily Collins, Nicholas Braun e Karen Gillan no primeiro episódio até Gilbert Owuor, Laura Harrier, Aubrey Plaza e Danny Pudi nos episódios posteriores; é simplesmente um fluxo constante de nomes que conhecemos e amamos.


Vou admitir que a voz de Pedro Pascal reconheci na hora - depois de ouvir sem vê-lo em The Mandalorian.


Eu realmente não esperava chorar, rir e gritar durante 1 episódio todo de uma série, e ainda assim foi exatamente isso que esses episódios fizeram comigo. É uma maneira fascinante de contar histórias e espero que outras pessoas gostem de Calls tanto quanto eu.


5 pipocas!


Disponível na AppleTV.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo