• Ana Paula Ostapenko

“Cinzas no Pantanal” tem últimas exibições nesse fim de semana


O curta-metragem “Cinzas no Pantanal”, que aborda os incêndios que atingiram o bioma no ano passado, terá suas últimas exibições ao público nesse fim de semana, dias 1 e 2 de maio. O filme teve pré-estreia no último domingo e agora será inscrito em festivais. Sensibilizados pelas imagens do Pantanal em chamas que chocaram o Brasil e o mundo, a cineasta Mariana Marques e o diretor de animação Tiago Franco começaram a planejar um projeto que passasse uma mensagem de conscientização. “Ano passado foi um ano histórico em número de queimadas no Pantanal e em área de extensão. Sendo sul-mato-grossense, não tem como não ficar tocado, o que me motivou a escrever um projeto que retratasse isso, mesmo que de forma lúdica, poética, mas que fizesse um questionamento crítico desses fatos que estavam acontecendo”, conta Mariana.

Financiado com recursos da Lei Aldir Blanc (edital Morena Cultura e Cidadania), por intermédio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur) e da Prefeitura Municipal de Campo Grande, o curta-metragem foi todo produzido em stop motion, uma técnica de animação que faz capturas quadro-a-quadro, utilizando cenários e figuras confeccionadas em origami pelo mestre Elder Alves. Estão disponíveis também, no canal do YouTube e nas redes sociais do projeto, três vídeos curtos com tutoriais de origami de animais do Pantanal, realizados por Elder Alves, e uma cartilha virtual com instruções de dobraduras para todos que quiserem realizar em casa. Será ministrada uma aula on-line de origami exclusiva para os professores da Rede Estadual de Ensino, que serão informados pela Secretaria Estadual de Educação.

Segundo o diretor de animação Tiago Franco, que trabalha com stop motion há mais de 15 anos, o principal desafio de trabalhar com origami foi encontrar os movimentos de cada peça desenvolvida. Nessa técnica, são necessárias 12 a 24 fotos para produzir apenas um segundo de filme. “Só de produção tivemos mais de 350 horas de trabalho, fora o tempo de pré-produção e de edição, que também são essenciais. No stop motion é tudo programado, por isso precisamos saber como aquela figura vai se comportar para poder gerar uma animação com o resultado pretendido. É uma técnica muito minuciosa”, completa.

O curta foi realizado pela Bicicletaria Filmes, produtora de vídeos dirigida por Tiago e Mariana, em parceria com a Marshmelo Filmes. Ele não foi pensado só para crianças, mas sim para todos os públicos. “A ideia é levantar um questionamento, é que se reflita de alguma forma sobre isso que está acontecendo todos os anos no Pantanal. As queimadas acontecem quase sempre por ação humana e no inverno, período de seca no Pantanal. Existe um movimento cíclico no bioma, a próxima estação traz a chuva e a renovação de uma parte do que foi perdido. Mas até quando?”, questiona Mariana.

Serviço: O curta-metragem “Cinzas no Pantanal” será exibido sábado e domingo, dias 1 e 2 de maio, no canal do YouTube do projeto, onde também estão disponíveis os tutoriais de origami. Link do canal: https://www.youtube.com/channel/UC3MXxNaX_GdsoQFZdE-PwIw. Mais informações pelo Instagram: @cinzas_no_pantanal e pelo Facebook: Cinzas no Pantanal.

4 visualizações0 comentário