• Ana Paula Ostapenko

Dança: Mostra Cerrado Abierto traz atrações do Brasil, Argentina, Espanha e Costa Rica


Durante uma semana, de sábado (13) até 20 de novembro, Campo Grande será palco da 3a edição do ´Cerrado Abierto – Mostra de Danças Contemporâneas´, com 16 atrações de companhias e grupos convidados do Brasil, Argentina, Espanha e Costa Rica. A programação é gratuita e contará com apresentações virtuais e presenciais. A edição deste ano conta com o investimento do Fundo Municipal de Investimento Cultural – FMIC/2019, da Prefeitura Municipal de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur); do Programa Iberescena e da Fundação Nacional de Artes (Funarte).


A diversidade de corpos e da produção de danças serão evidenciados em cenas nas apresentações. A companhia Giradança (RN), por exemplo, que apresenta o espetáculo ´Proibido elefantes´ no dia 13, pesquisa e produz uma linguagem própria na dança contemporânea com corpos diferentes. Em seu elenco apresentam-se bailarinos com e sem deficiência física. No solo ´A pele de dentro´, que será apresentado no dia 15, Ariane Nogueira da Cia Dançurbana (MS), inspirada em alguns orixás mulheres, traz a força e a presença energética corporal de mulheres negras e guerreiras, para compor cenicamente a busca pela identidade corpórea.

O corpo feminino também estará em cena no solo ´Nu(m) corpo só´, que será apresentado por Rose Mendonça da Cia Dançurbana (MS), no dia 16. Neste espetáculo, a intérprete criadora propõe investigar a ancestralidade a partir de memórias corporais de corpos femininos que resistem, geram, reagem e acolhem; num só corpo, numa só mulher. A companhia Iron Skulls Co, da Espanha, estará no Brasil em novembro e marcará presença na Mostra Cerrado Abierto com a obra ´Sinestesia´, no dia 20. No espetáculo, o Hip Hop, a Acrobacia e a Dança Contemporânea se fusionam para criar uma linguagem onde o humano e o animal se unem, convidando o espectador a um jogo de interferências sensoriais.

Programação!

No dia 13 (sábado), às 19 horas, Lívia Lopes da Cia Dançurbana (MS) é a primeira a subir ao palco com o solo ´Euphoria´ (classificação livre) e, às 20 horas, Giradança (RN) encena ´Proibido Elefantes´ (classificação 16 anos), na Casa de Ensaio. No dia 14, às 19 horas, Gustav Courbet (SP) apresenta ´CORPO PRESENTE - ninguém perguntou pelo seu ser´ (classificação 16 anos) e, às 20 horas, Alexandre Américo (RN) encena ´Cinzas ao solo´ (classificação 12 anos), na Casa de Ensaio. No dia 15, às 19 horas, Preto Amparo, Grazi Medrado, Alexandre de Sena e Pablo Bernardo (MG) apresentam ´violento.´ (classificação 16 anos) e, às 20 horas, Ariane Nogueira da Cia Dançurbana (MS) encena ´A pele de dentro´ (classificação 14 anos), na Casa de Ensaio.

De 16 a 18 de novembro as apresentações serão virtuais e ao vivo no canal do Youtube da Arado Cultural. No dia 16, às 20h30, Rose Mendonça da Cia Dançurbana (MS) apresenta ´Nu(m) corpo só´ (classificação 14 anos).

No dia 17, às 19 horas, Jackeline Mourão e Roger Pacheco (MS) apresentam ´#Procedimento 20´, do projeto Sala de Visita (classificação 12 anos). E, no dia 18, às 19 horas, Luciana de Bem do grupo de pesquisa Renda que Roda (MS), encena ´SAL´ (classificação 12 anos).

Já nos dias 19 e 20 de novembro as apresentações, todas com classificação livre, serão na Concha Acústica Helena Meireles, no Parque das Nações Indígenas. Na sexta (19), às 19 horas, Romina Laino e Gustavo Musso (Argentina) levam ao palco ´Hiperbatica´, em seguida, às 19h30, Los INnato (Costa Rica) apresenta ´Otro Lado´ e, às 20 horas, show com General R3 (MS). No sábado (20), às 19h30, a companhia de dança Iron Skulls Co (Espanha) apresenta ´Sinestesia´, em seguida, às 20 horas, Franciella Cavalheri e Adriel Santos (MS) encenam ´(Des)encontro´, com participação de Romina Laino e Gustavo Musso e, por fim, às 20h30, Jam Session com El Trio (MS). Também no dia 20, haverá Flash Mob com Hands Up (MS) no Parque das Nações Indígenas.

Parte da programação nacional e internacional é financiada pelo Iberescena – Fundo de Apoio para as Artes Cênicas Ibero-americanas, do qual o projeto concorreu e foi contemplado na linha Programação de Festivais.

Mostra de Vídeodança traz trabalhos de artistas locais e de Mostras renomadas nacionais

Junto aos espetáculos, a programação traz também Mostra de Vídeodança. “Neste ano convidamos festivais, projetos e artistas relevantes do universo da Vídeodança para proporem vídeos que seguissem a linha curatorial do evento. Dessa maneira, a programação conta com programas da ´Mostra REDIV 2020 - Rede Ibero-americana de Vídeodanças´, composta por peças de Videodança representativas de alguns Festivais e Eventos que integram a ´Rede Ibero-americana de Vídeodança´. Também contamos com a ´Mostra FIVRS - Festival Internacional de Vídeodança do Rio Grande do Sul´, com programas de 2020 e 2021, selecionados especialmente para o Cerrado Abierto”, destaca a produtora da Arado Cultural, Júlia Aissa.

Produções de MS completam a programação de Vídeodanças com o projeto Plataforme-se e trabalhos dos artistas Paula Bueno, Luiza Rosa, Denise Delatim e Raique Moura, além do Grupo Anticorpos de Minas Gerais, com vídeos de diversos formatos, mas que tem o corpo e o movimento como mote.

Serviço: A 3a edição do ´Cerrado Abierto - Mostra de Danças Contemporâneas´ acontece de 13 a 20 de novembro, com programação gratuita com espetáculos, performances, oficinas, curso e residência artística, de forma virtual e presencial (em diversos pontos de Campo Grande-MS). Mais informações em www.cerradoabierto.com.br/.

3 visualizações0 comentário