• Ana Paula Ostapenko

Dentre 20 competidoras, Lili Black é a campeã do Ellas Festival


Com dois dias de apresentações virtuais, o Ellas Festival foi um verdadeiro show de talentos. Idealizado pela musicista Ana Cabral, o evento premiou três cantoras que vivem em Campo Grande: Lili Black, que cantou a música “Mães”, conquistou o primeiro lugar e garantiu o prêmio de R$ 6 mil; Ariadne Farinéa, com a música “Indomada”, foi a vice-campeã e levou para casa o prêmio de R$ 4 mil; Camila Oliveira, que se apresentou com a música “Fugere Urbem”, ficou com a terceira colocação e foi premiada com R$ 2 mil. Ainda se apresentaram no festival: Namaria Schneider (Pai Ausente); Erika Espíndola (Eu Não Consigo Acreditar); Fabi Strengari (Pense Felicidade); Joyce Bethânia (Playlist Recaída); Juliana Araújo (Palco da Vida); Julie Kethlyn (Embornal) Jully Loureiro (Entardecer); Karô Castanha (Presságio); Karoline Munhoz (Nosso Eu); Duo Femme Lounge (E Se); Larissa & Mariana (Bate Boca); Larissa Pulchério (Escrevi um Jazz para Você); Lívia Merlo (Enquanto Você Não Vem); Mariana Castilho (Moreno); Rebeca Queiroz (Vida); Stefani Godoy (Vai ser Real) e Olga (Beco sem Saída). Todas as músicas do festival são autorais. As cantoras Karina Marques e Marina Dalla foram as apresentadoras. A campeã Lili Black sempre gostou de música e o rap esteve presente em sua vida desde cedo. Ela entrou de vez no estilo, quando começou a participar de batalhas de freestyle, por volta do fim do ano de 2016. “Sempre curti música, mas quando eu era mais nova estava meio perdida, sem saber se era isso mesmo que eu queria. Depois das batalhas passei a ter mais certeza que era isso. Minha primeira música lançada foi ‘Dinheiro Não Compra Postura’, em 2020”, conta. A cantora decidiu participar do Ellas Festival pela visibilidade de um evento de música voltado à mulheres. “Gostei do espaço, pude mostrar meu trabalho, conhecer as minas da música, todas que se apresentaram tinham trabalhos de excelente qualidade. Estou emocionada por ter conquistado a vitória, foi muito importante ver aonde meu trabalho chegou, deu um gás para continuar o meu trampo”, afirma emocionada. Sua música, “Mães”, tem uma letra que fala da batalha que mulheres com filhos enfrentam no dia a dia, principalmente as mães negras e indígenas. “Fiz essa letra pensando na minha mãe, pois vendo o que ela passou já sentia as injustiças que as mulheres sofrem. Decidi colocar no plural depois, transformar em um grito de várias mães, porque sei que muitas vão se identificar”, explica. A segunda colocada, Ariadne Farinéa, começou a compor por volta de 2013. Seguiu com sua carreira artística e após algumas pausas voltou a gravar este ano. “O Ellas Festival foi a oportunidade perfeita para apresentar a música que será o carro chefe do meu EP, ‘Indomada’. Essa canção é um grito para mim, funciona como um desabafo de tudo que a mulher vive diariamente. Falo do social, desde sofrer assédio até o estupro, e também da parte afetiva, sobre relacionamentos”, pontua. Ela ficou surpresa com a posição no festival e comemorou muito sua colocação. “Estava assistindo pela televisão, tinha acabado de chegar na casa da minha mãe. Aí quando foi anunciado gritei, pulei, fiquei muito feliz. O festival estava em um nível muito bom, meninas que eu não conhecia, que só precisam de uma oportunidade. Todas muito boas e talentosas”, frisa. Já Camila Oliveira, que ficou na terceira posição dentre as 20 competidoras, começou sua carreira nos movimentos culturais das periferias de São Paulo, há pouco mais de 10 anos. Há 6 anos veio para Campo Grande e sua música “Fugire Urbem”, expressão do latim que significa fugir da cidade, fala um pouco sobre essa mudança em sua vida, desigualdade, falta de terra, entre outras problemáticas. “Falo da cidade como um bicho grande, os medos, as dificuldades, desigualdade, terra. Sempre me apeguei com a natureza e minhas composições conversam muito comigo, então gosto de passar minhas vivências para minhas letras. Ficar com o terceiro lugar é uma responsabilidade muito grande, estou muito feliz, contemplei canções, outras mulheres, tivemos boas trocas. Por mais festivais que celebrem as mulheres, compositoras, musicistas, mulheres em suas múltiplas facetas e múltiplas artes”, finaliza. O projeto conta com recursos do Fundo Municipal de Investimentos Culturais (FMIC 2019), promovido pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur), por meio da Prefeitura Municipal de Campo Grande.


O show das 20 cantoras que participaram do evento está disponível no canal do Ellas Festival, no YouTube.

4 visualizações0 comentário