• Ana Paula Ostapenko

DOVALLE promete esquentar o clima em primeiro show do ano


O ano de DOVALLE começa com muitos planos após um 2021 bastante agitado com lançamentos, shows e a conquista do Festival Batalha de Bandas. Para dar o pontapé inicial, o artista se apresenta no Laricas Cultural, espaço tradicional da noite alternativa campo-grandense.


O espetáculo “Entre Vícios & Boleros” convida o público para a ginga, com canções autorais e já consagradas em clima eletrizante, com influência de ritmos do interior do Brasil, da América Latina e da nova música alternativa brasileira. A performance flutua por estilos como brega, lambada, bolero, samba e piseiro: uma mistura dançante e apaixonante. E o resultado se vê no repertório, que vai de Os Barões da Pisadinha a Caetano Veloso e diversos outros nomes da música brasileira.


O show acontece nesta sexta (28) no espaço Laricas Cultural, a partir das 20 horas, com entrada a R$ 10. O evento segue todos os planos de biossegurança vigentes e é obrigatória a apresentação do comprovante de vacinação, assim como o uso de máscara. Para mais informações, acesse o perfil do artista no Instagram.


SOBRE O ARTISTA


DOVALLE escreve sobre a tradução do suor das ideias, a música das horas mais barulhentas, tocada com o silêncio dos dias. Compõe o mundo real, o que tem de humano no humano, o que há de desprezível e sublime, a matéria da prova da saudade. Busca levar a arte como prática diária de vida, expressão, acima de tudo, a miúda essência através do espetáculo. Conectar pessoas a mundos, conectar mundos a pessoas.


Nascido em Tangará da Serra (MT), criado em Ribas do Rio Pardo (MS) e radicado em Campo Grande (MS), o artista sempre enxergou nas suas raízes fonte de inspiração para fazer arte e contar suas histórias e as que observava nos diversos lugares em que transitava. Ainda adolescente, aprendeu violão com João Caroço, seu tio, boêmio interiorano.


Mais tarde, depois de se conectar com a música e gêneros musicais variados, um longo hiato, uma passagem na música experimental, volta aos poucos trazendo as raízes de suas influências, bebendo dos ritmos brasileiros, do brega à lambada, os choros e sambas e os ensinamentos de Mestre Pequeno na Capoeira Angola. DOVALLE aprendeu a escutar.


Filho de um caminhoneiro e uma costureira, aprendeu sobre o amor através da saudade e do som dos pedais de costura de uma Singer. Constrói suas sonoridades acompanhado de amor, romance, vícios e dores contemporâneas, com temperos de interior, aqueles contidos nas obras cinematográficas de Marcelo Gomes.


Em 2021, DOVALLE foi contemplado com o primeiro lugar no edital Som da Concha, da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, apresentou-se no Festival Campão Cultural e foi também o vencedor do Festival Batalha de Bandas, que contou com 63 bandas regionais inscritas e 10 finalistas.

11 visualizações0 comentário