• Ana Paula Ostapenko

Julio Queiroz lança clipe psicodélico para falar de saudade em “Onde está”


Após a boa recepção de seu primeiro disco – 1/4 – e mais dois singles lançados durante sua passagem por Portugal, Julio Queiroz lança seu primeiro single produzido a várias mãos em retorno ao Brasil. “Onde está” aposta em metáforas verbais e visuais para falar de ausência, da sensação de saudade que não conseguimos descrever, porém nos acompanha no dia a dia.


A canção foi escrita em seu apartamento em Fânzeres, no Porto, durante o período de isolamento social por conta da pandemia. A solidão não era propriamente uma dor de Julio Queiroz, pois havia a companhia da esposa e de seus dois filhos, mas o artista conta que se aprofundou internamente para trazer à tona a falta de alguém ausente.


Os timbres espaciais dos sintetizadores acentuam o tom solitário e agridoce do single, e apesar de melancólicos, grudam na cabeça e nos convidam a cantarolar. A linha de baixo e a bateria grave preenchem os vazios melódicos e existenciais, garantindo força e presença à faixa. A sonoridade de “Onde está” faz parte do processo de amadurecimento de Julio Queiroz, agora com uma banda participando na construção do conceito que o norteará no segundo disco.


O artista natural de Dourados-MS, com carreira na capital, Campo Grande, traz influências do Rock Psicodélico do final dos anos 60, como Pink Floyd e The Beatles, da música brasileira, principalmente Caetano Veloso, Gilberto Gil e da Tropicália em geral. Dos nomes contemporâneos, Tame Impala, Unknown Mortal Orchestra, Men I Trust, Rodrigo Amarante e Devendra Banhart são referências desde a produção até a estética.


Também produtor musical, Julio Queiroz já gravou diversos artistas sul-mato-grossenses. Nomes como Erika Espíndola, Giani Torres, Guilé e Begèt de Lucena passaram seu som pelas mãos e ouvidos do artista. Mas na carreira solo, seu projeto sempre foi experimental e desacompanhado. Ele mesmo gravava todas as linhas, adicionava camadas e a massa sonora ia crescendo. Agora, Julio Queiroz transita para um som orgânico, com calor humano e mais linguagens envolvidas no processo criativo.


Assim é em seu videoclipe, produzido pelo seu selo – Mandioca Records –, formado por uma equipe de profissionais do audiovisual, da gestão de carreira e do marketing musical. O vídeo é assinado por Tui Boaventura e apresenta atmosfera melancólica, mostrando a rotina de uma personagem solitária à mesa do café da manhã. Em meio à monotonia, lembranças a tiram da realidade por raros instantes, até que a solidão ressurja.


As cores são o ponto alto da direção. Figurino e elementos de cena se destacam em meio ao cenário inicialmente branco. No refrão, a parede é preenchida gradualmente por rastros coloridos. Em seguida, a cena entra em um microcosmos, onde líquidos coloridos criam movimentos e formas, referência às obras do artista visual Seb Duke. Quando o clipe retorna à personagem, é ela quem ganha cor, enquanto transições rápidas mostram mudanças de humor e expressão.


Ao final, novos elementos se fundem ao microcosmos e os sintetizadores repetem a melodia que gruda na memória. Com a peça, Julio Queiroz busca mostrar saídas positivas dos sentimentos incômodos, sem deixá-los corroer a alegria dia após dia. Além de uma música para curtir a bad, Onde Está relembra que a tristeza é passageira.


O clipe está disponível no canal de Julio Queiroz no YouTube desde sexta (25), meio-dia. Também nas principais plataformas de streaming e no Bandcamp com opção de download.

13 visualizações0 comentário