• Ana Paula Ostapenko

O Pequeno Macedônio: livro infantil traz debate sensível sobre bullying, afeto e amizade


No próximo dia 22, Campo Grande ganhará uma obra literária sensível e necessária, trata-se do livro infantil O Pequeno Macedônio, que chegará às mãos de leitores do mundo todo no formato de e-book. O projeto foi aprovado no Edital Morena Cultura e Cidadania, com recursos da Lei Aldir Blanc, com apoio da Prefeitura de Campo Grande e Governo Federal por meio da Secretaria de Cultura e Turismo.


A trama fala sobre Sasko, um menino que veio da Macedônia e encontra dificuldades em se encaixar em sua nova terra, sobretudo, com as outras crianças. No decorrer da história, um misto de emoções traz a expectativa da amizade, a necessidade do afeto e as razões que movem as pessoas no mundo. O livro vem com a assinatura de dois artistas de peso, o escritor Henrique Komatsu, um dos finalistas do último prêmio Jabuti pelo livro de contos Ototo, e o artista visual Fábio Quill, indicado ao prêmio HQMIX em 2020 por sua obra Amálgama.



Com O Pequeno Macedônio, Henrique lança seu terceiro livro infantil. Formado em Direito e Filosofia, um de seus propósitos é procurar formas de introduzir a filosofia no dia a dia das crianças por meio da literatura. Em suas inspirações para o livro, além de experiências próprias, Henrique se inspirou em épicos como a Odisseia e a Ilíiada de Homero e também em personagens da mitologia grega. "Acredito que O Pequeno Macedônio traga também vários debates e temas que podem ser trabalhados, como o bullying, por exemplo. O fato de Sasko se sentir deslocado e a maneira como é recebido por seus colegas pode servir para debater as motivações com as crianças", sugere Henrique.


Além de ter uma trama envolvente, O Pequeno Macedônio é, sobretudo, um trabalho primoroso de arte. Isso graças ao talento de Fábio Quill, que tem uma trajetória sólida como artista visual, autor de histórias em quadrinhos, muralista e arte-educador. Ele ficou responsável por ilustrar o livro, mesclando a pintura com tinta acrílica e o desenho com grafite, pontos muito característicos de sua obra. São essas imagens que ajudam o leitor a enxergar a história, facilitando o entendimento de todas as nuances do enredo. "A história tem pontos muito frios quando trata das relações entre as pessoas, mas ao mesmo tempo, a linguagem é dinâmica e tem vida. O leitor mais atento vai conseguir captar toda essa riqueza", pontua.


Acesso e inclusão - O Pequeno Macedônio estará à disposição para leitores do mundo todo a partir do dia 22 de março, pelo site http://bit.ly/opequenomacedonio . É possível fazer o download grátis do e-book em diversos formatos. Além disso, a história ganhará também uma versão animada, no formato de videobook, que poderá ser conferido no Youtube, no mesmo link já citado. A narração fica por conta dos contadores de história Elaine Guarani e Augusto Figliaggi.


Oferecer tantas opções para o leitor foi uma escolha conjunta de Henrique e Fábio, tendo em mente a ideia de que a literatura precisa chegar aos mais variados públicos. Essas opções, segundo eles, ajudam a democratizar ainda mais o acesso.


O livro é indicado para crianças de 7 a 10 anos, mas deve encantar leitores de todas as idades.



Serviço

Lançamento do livro O Pequeno Macedônio, de Henrique Komatsu e Fábio Quill

quando: 22 de março

Download gratuito disponível no site http://bit.ly/opequenomacedonio

7 visualizações0 comentário