• Ana Paula Ostapenko

Projeto Corredor Bioceânico da UFMS prepara curso EAD sobre tendências do turismo pós-pandemia


Os pesquisadores do Projeto Corredor Bioceânico da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) estão preparando um curso em formato EAD sobre as macrotendências para o setor turístico no período pós-pandemia do coronavírus.

Protocolos de biossegurança, uso das tecnologias digitais, inovação, ações do poder público e da iniciativa privada estão entre os temas abordados no curso. As gravações já foram realizadas e o conteúdo está sendo organizado pelos pesquisadores Erick Wilke, da Escola de Administração e Negócios da UFMS, e Débora Fittipaldi Gonçalves, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

“Serão apresentadas informações sobre tendências do setor e esses dados são confrontados com análises de especialistas que atuam no mercado. O curso traz essa oportunidade de avaliar as pesquisas na área e conhecer a visão de profissionais que atuam tanto na gestão pública quanto na gestão privada”, explica o pesquisador Erick Wilke, que também é coordenador do Projeto Corredor Bioceânico da UFMS.

Estudantes, empresários, profissionais da iniciativa pública e privada e demais interessados poderão participar. O curso é gratuito e haverá emissão de certificado. As inscrições serão abertas em junho. As aulas serão disponibilizadas pela AVA Ensino, plataforma de cursos on-line da UFMS.

“O conteúdo inclui as principais tendências das atividades turísticas, qual é o público, como o mercado deve se preparar para receber esses turistas, quais são os principais destinos. É um conhecimento fundamental para as pessoas que se interessam pelo assunto ou buscam qualificação nesta área”, afirma a pesquisadora Débora Gonçalves.

Os participantes terão a oportunidade de conhecer análises e projeções realizadas pelo presidente do Conselho Estadual de Turismo, Marcelo Mesquita, que atua há 35 anos na área hoteleira; e pelo diretor-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, Bruno Wendling, que é especialista em Ecoturismo e em Planejamento e Gestão Pública e Privada do Turismo.

“Nossa pesquisa é focada nas cidades alcançadas pelo Corredor Bioceânico, mas o modelo que estamos construindo servirá para todo o Estado e esse curso já caminha nesse sentido, de analisar como os profissionais que atuam nessa área podem melhorar a receptividade, podem se preparar para o período pós-pandemia”, explica Erick Wilke.

Ainda neste semestre, será lançado outro curso EAD na área de Logística.

Pesquisa

O curso é uma ação de extensão do Projeto Corredor Bioceânico da UFMS, que analisa oportunidades e desafios gerados pela construção da rota rodoviária que possibilitará a conexão do Centro-Oeste brasileiro aos portos chilenos de Antofagasta e Iquique, no Pacífico.

Os recursos que viabilizaram a realização do projeto da UFMS são oriundos de emenda parlamentar do deputado federal Vander Loubet (PT/MS).

No Eixo do Turismo, que é coordenado pela professora Débora Gonçalves (UEMS), está sendo feito um estudo para propor um modelo de avaliação da potencialidade do turismo de experiência em destinos turísticos emergentes, com respeito ao desenvolvimento local, mas com aptidão para a competição em nível global. O mapeamento está sendo realizado a partir de Porto Murtinho.

1 visualização0 comentário