• Ana Paula Ostapenko

Psiquiatra lança novo livro com poemas criados durante a pandemia


O período mais grave da pandemia foi de muito trabalho para o psiquiatra Marcos Estevão dos Santos Moura. O coronavírus afetava a saúde física, mas o medo e o isolamento geravam uma “pandemia” de saúde mental. Para se desligar do trabalho no consultório, o médico buscava abrigo na literatura, produzindo poemas que se tornariam seu sexto livro, “Távola de Palavras e Silêncios”, que será lançado amanhã (21), a partir das 18 horas, na Livraria Lê.

“Nos primeiros meses, o sofrimento humano foi muito grande, nós sentimos a dor, mas eu uso o que a gente chama de empatia, quem lê meus poemas pode dizer. Eu busco aquilo que o paciente traz e jogo na poesia, então a gente também pode sentir a dor do outro e colocar isso no papel”, resume Marcos Estevão. Na obra, o autor fala dos sentimentos gerados pela pandemia, de emoções humanas e também de temas diversos, como o Pantanal, as amizades e a própria arte.

Depois de cinco livros publicados, sendo três outros com poesia, “Távola de Palavras e Silêncios” marca também uma guinada do autor, de uma inspiração no parnasianismo e no romantismo, com uma poesia mais rimada e metrificada, para uma poesia moderna. “A exemplo da Medicina, que na década de 80/90, quando me formei e me especializei, era uma e está sempre mudando, e a gente tem que estar o tempo todo pesquisando e se atualizando, a arte também é assim”, explica o escritor. “Percebo que comecei a ler mais os autores modernos, a ver a beleza na arte moderna, e aqui eu tive a oportunidade de conviver com muitos amigos desse viés, pessoas da União Brasileira de Escritores, da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL), além de outros poetas da nossa língua e de línguas estrangeiras”, completa.

O prefácio do livro é do autor e membro da ASL Rubenio Marcelo, e a contracapa do imortal Carlos Nejar. Além dos contemporâneos de MS, outras inspirações são o paraense Antônio Tavernard e escritores clássicos como Casemiro de Abreu, Gonçalves Dias e Castro Alves. Sobre o título do livro, o médico explica que se refere à dualidade da poesia. “A poesia em si ela já é essa dualidade, o que o poeta compreende do que ele faz não é necessariamente o que o leitor compreende quando lê, a poesia moderna, mais metafórica, deixa esses silêncios entre as linhas que precisam ser completados pelo leitor. Os hiatos, os silêncios, serão a complementação do leitor às palavras”, define.

Serviço: O lançamento do livro “Távola de Palavras e Silêncios”, publicado pela Life Editora, será realizado amanhã, quinta-feira, dia 21 de outubro, a partir das 18 horas, na Livraria Lê, que fica na Rua Antônio Maria Coelho, 3.862. Serão seguidos todos os protocolos de segurança durante o evento e o uso de máscara é obrigatório.


Sobre o autor: O autor é médico graduado pela Universidade Federal do Pará, com título de especialista em psiquiatria pela Associação Brasileira de Psiquiatria e Associação Médica Brasileira. É também psiquiatra forense com Mestrado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, especialista na recuperação de viciados em drogas e vice-presidente do Conselho Estadual de Políticas Públicas Sobre Drogas de Mato Grosso do Sul (CEAD/MS). Reside em Campo Grande desde 1993 e é membro da União Brasileira de Escritores (UBE/MS).

1 visualização0 comentário