• Ana Paula Ostapenko

Relacionamento entre travesti e policial é história de amor improvável em nova HQ da Brasa Editora


Uma história de amor improvável e repleta de tabus é o novo lançamento da Brasa, editora que acaba de fazer sua estreia no mercado com o propósito de publicar quadrinhos nacionais que contam histórias sobre personagens brasileiros para leitores brasileiros.


Lovistori é o drama romântico entre Sereia, uma travesti que ganha a vida na praia de Copacabana, e Paixão, um policial militar. Ambientado no Rio de Janeiro, uma idílica metrópole tropical à beira mar, o romance gráfico noir desnuda uma “cidade cartão-postal” que engole e tritura a vida de seus habitantes, mascarando toda a opressão que sua beleza esconde. Lovistori é uma HQ que traz à luz a temática LGBTQIA+ em uma narrativa que levanta discussões de questões fundamentais relacionadas ao momento histórico atual, como gênero, racismo, identidade, transfobia, violência das ruas, violência das instituições e prostituição. Esta publicação está sendo realizada com apoio do Proac Quadrinhos, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.


A trama se passa no dia do aniversário de casamento de Sereia e Paixão. O traço do experiente Alcimar Frazão dá vida em tons de preto e branco às 80 páginas da narrativa concebida por Lobo, que, além de roteirista, é o editor responsável pela Brasa Editora. "Partes dessa história eu ouvi de uma travesti enquanto juntava as informações para escrever Copacabana. O relato me impressionou tanto, que achei que valia um voo solo. Mas o roteiro ficou lá, pegando poeira no meu HD", conta o editor que, em 2009, já havia se aventurado em outra HQ pelas ruas do Rio de Janeiro, Copacabana, escrita por ele e desenhada por Odyr. lançada pela Editora Desiderata.


Para inspirá-lo na missão de dar rosto e corpo a Sereia e Paixão, Alcimar Frazão busca referências em pessoas reais. Para ele, usar pessoas próximas, amigos e amigas como inspiração, ajuda a construir personagens mais reconhecíveis. Do ponto de vista da história, um dos aspectos mais importantes para o desenhista é como construir um partido visual que seja coerente artisticamente com o objeto do texto e com a história que será contada. Além disso, houve toda uma preocupação em como representar o cenário da história. "O Rio de Janeiro é uma cidade muito imagética e, como não sou do Rio, precisava encontrar um caminho para abordar essas relações. Neste trabalho em especial, o partido visual me veio por uma música do Caetano Veloso: Fora da Ordem, do disco Circuladô. Ela me deu uma sugestão de imagem, de construção, de relação com a cidade. De certo modo, a história foi se construindo toda a partir daí", revela.


Frazão completa afirmando que Lovistori é uma história que fala sobre gente viva, que quer seguir em frente e ter seu lugar. Fala de violências reais e diárias a que as pessoas estão submetidas para manter uma sociedade de aparência e hierarquia. Fala de amor e fala da sua ausência. "Lovistori é um acontecimento sobre como a cidade molda os amores que ela abriga e que ela obriga. Conta a história de gente que quer viver sua vida, chegar até o final do dia. Como artista me interessa muito construir a partir desse lugar, de falar de nossa vida miúda, de seguir resistindo, tentando superar a cidade e sua forma de nos fazer sumir."


Lovistori tem os paratextos assinados pelas putafeministas Monique Prada e Priscila Fróes. Monique é autora do livro Putafeminista, da editora Veneta, onde expõe ideias que servem de base para o “putafeminismo”, um movimento que dá voz às trabalhadoras sexuais e fortalece a luta dessas mulheres por direitos e contra a opressão, sem que para isso precisem abrir mão de seu trabalho ou se envergonhar dele. Sobre Lovistori, Monique acredita que o romance pode levar as pessoas à reflexão, sobretudo no papel das travestis prostitutas. “São corpos vistos como menos que humanos, ficção sugada da realidade diária. Mulheres que não foram feitas para o amor, mas para o gozo às escondidas. Existências fadadas às esquinas escuras, com direito apenas a momentos de felicidade clandestina. O livro leva o leitor de volta no tempo, umas duas ou três décadas, à Copacabana de ontem - embora os preconceitos sigam presentes”.


Já Priscila Fróes, artista visual e putafeminista, considera Lovistori uma obra com um realismo que pode parecer distante ao leitor cis. “Talvez uma pessoa cisgênera apenas acredite ser uma obra de ficção mas, não é ficção, é a realidade nua e crua que tanto é retratada na ficção que passa a ser mais real no mundo. Não é fácil ser Sereia, porém precisa ser tão difícil? A transfobia, o racismo, misoginia e corrupção de nossa sociedade estão escancarados nesta obra”, pontua.


Lovistori pode ser adquirido na pré-venda por meio do financiamento coletivo em www.catarse.me/lovistori. O livro tem 80 páginas em preto e branco.


Lançamento em dose dupla - Lovistori foi lançado simultaneamente com Brega Story, uma graphic novel que conta a história fictícia do músico Wanderson Jr., o Breguinha, que, embora carregue o título de Rei do Brega, tem que se virar para manter a coroa. Além de lutar para se adaptar às mudanças trazidas pelo tempo, ele tem que negociar com os políticos regionais, com os DJs de aparelhagens e músicos para levar adiante seu plano de ser uma grande estrela nacional e, quem sabe, internacional. Brega Story é a segunda graphic novel do premiado quadrinista Gidalti Jr.


Os livros foram lançados em duas campanhas diferentes, mas ambos serão recompensas um da campanha do outro. Assim, você pode apoiar os dois projetos juntos e receber os livros em casa.


Lovistori terá 80 páginas impressas em preto pantone, formato 210 x 277 mm, também com capa em triplex 300g e com orelhas grandes. Seu miolo será impresso em pólen bold 80g ou offset 90g. O preço final de capa é R$ 80,00, mas quem apoiar durante a campanha no Catarse terá o desconto de 20%, saindo a R$ 64,00. Para adquirir Lovistori, acesse www.catarse.me/lovistori


Brega Story terá 320 páginas (288 em preto pantone e 32 coloridas em aquarela), formato 210 x 277 mm, capa em triplex 300g e orelhas grandes. O miolo será impresso em pólen bold 80g ou offset 90g. O preço final de capa é R$ 140,00, mas quem apoiar durante a campanha, pagará 20% a menos, saindo a R$112,00. Para adquirir Brega Story, acesse: www.catarse.me/bregastory


Sobre a Brasa Editora

A Brasa tem como objetivo publicar o que há de melhor na produção de quadrinhos do país. A missão é encabeçada por um dos nomes mais conhecidos do mercado, o editor Lobo, que hoje também está também à frente da MolusComix e tem um extenso currículo no segmento.

0 visualização0 comentário