• Ana Paula Ostapenko

Som da Concha deste sábado traz a fusão da música clássica com rock e canções autorais de MS


O Som da Concha deste sábado, 30 de outubro de 2021, leva ao público a fusão da música clássica com rock com o guitarrista Tarsos Morais, às 18 horas, e como show de encerramento, Gilson Espíndola apresenta canções autorais suas e de compositores do Estado, às 19 horas. Projeto criado em 2008 pela Fundação de Cultura de MS, o Som da Concha leva shows quinzenalmente aos finais de semana na Concha Acústica Helena Meirelles, que fica no Parque das Nações Indígenas. A iniciativa valoriza e difunde a produção musical sul-mato-grossense. A entrada é franca.

Tarsos Morais, produtor musical de Campo Grande, desde cedo com muito apreço pela música instrumental, traz influências do rock para a música clássica. Ele atua com produção independente de alguns artistas regionais e outros artistas fora do Estado. Começou suas atividades na música como produtor em 2010 e anteriormente já atuava como guitarrista.

Sua maior influência nos gêneros, deve se a grandes nomes da época como Mozart, Vivaldi, e os mais atuais, John Williams e Hans Zimmer, fonte de obras magníficas explorando a guitarra elétrica e instrumentação clássica.

Tarsos Morais vai levar ao palco do Som da Concha o show “Rock in Concert”, que destaca músicas instrumentais de grande relevância histórica e sentimental para abordagem moderna. No repertório constam músicas como Eine kleine e Serenade Nº. 6, de Mozart, no primeiro momento do show e na a segunda parte, músicas populares conhecidas no cinema e também orquestradas, como as de grandes de bilheterias como The Avengers, ( Alan Silvestri) e Pirates of the Caribbean (Hans Zimmer). As canções foram gravadas em estúdio e rearranjadas pelo guitarrista. Acompanharão Tarsos Morais neste show, Camilio Ferraz na bateria, Gleison Ferreira e Lucas Camargo nos violinos, Edson Gimenez no contrabaixo e Kleber Almeida e Elisana Morais na voz.


Gilson Espíndola

No show Gilson Espíndola fará uma releitura de suas músicas e de compositores do estado de Mato Grosso do Sul em formato de trio usando violão e duas guitarras. Além da releitura, Gilson apresenta canções inéditas em parceria com Gilvandro Filho, Rodrigo Teixeira e Pedro Ortale.

Nascido em Aquidauana, e morando desde sua infância em Campo Grande, Gilson Espíndola cresceu num ambiente em que a música regional, boleros e guarânias, sempre estiveram presentes nas reuniões familiares onde, já na adolescência, fazia duetos com o pai e ensaiava suas primeiras composições.

Hoje aos 57 anos, Gilson traz uma respeitável bagagem musical sempre fiel à música sul-mato-grossense. É sem dúvida umas das vozes mais belas, de timbre privilegiado e interpretações originais. Vindo de uma família de artistas que culturalmente participam da identidade musical deste Estado, Gilson tem em sua formação em blues, samba e bossa nova e uma especial admiração pelo trabalho de Geraldo Espíndola que juntamente com os irmãos Celito, Tetê e Alzira formavam o grupo “Lírio Selvagem” reconhecido nacionalmente no final da década de 70.

Desde o final do ano de 2014, tem participado como músico no grupo Chalana de Prata composto por Celito Espíndola, Guilherme Rondon e Paulo Simões. Com o grupo, já se apresentou em Corumbá, Bonito, Paranaíba, Brasília, Itaquiraí, Campo Grande e Rio de Janeiro. Em agosto dos anos de 2016 e 2017 foi classificado para o FENAC - Festival Nacional da Canção, classificado entre as 100 músicas de mais de 3.000 músicas inscritas de todo Brasil. As etapas dos festivais foram em São Thomé das Letras e Extrema, cidades do estado de Minas Gerais, onde acontece todo ano e é um dos maiores e conceituados festivais do Brasil.

Em 2018 participou de dois projetos realizados pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul: “Som da Concha” e “FASP – Festival América do Sul Pantanal”. Em agosto participou do programa Senhor Brasil do Rolando Boldrin com a prima Tetê Espíndola e os músicos Caito e Tuco Marcondes. Em setembro do mesmo ano, foi aprovado no edital do FMIC (Fundo Municipal de Investimentos Culturais) realizado pela SECTUR/PMCG para produzir o DVD Gilson Espíndola - 40 anos que conta um pouco de sua trajetória na música sul-mato-grossense. Em maio de 2019, gravou o DVD “Gilson espíndola – 40 anos – Dois caminhos” que teve seu lançamento através de uma live em seu canal do Youtube em maio de 2020.


Serviço – Devido à pandemia do Covid-19, a edição 2020 do projeto acontece de forma híbrida, com transmissão ao vivo pelo www.youtube.com/fundacaodeculturamsoficial e pelo Facebook da Fundação de Cultura de MS.

2 visualizações0 comentário