• Ana Paula Ostapenko

Vereador quer transformar bancas apreendidas do jogo de bicho em cabines de leitura


O vereador Ronilço Guerreiro quer informações do poder judiciário de Mato Grosso do Sul sobre qual será o destino das 87 cabines que eram utilizadas para jogo do bicho em Campo Grande e recolhidas em dezembro do ano passado por equipes do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) e da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), com apoio da Polícia Militar.

Guerreiro quer que essas cabines sejam utilizadas como espaço de leitura e que sejam colocadas nas escolas da Capital. “Temos que ter criatividade para fazer com que os livros cheguem até as pessoas. Essas bancas eram utilizadas para jogos nos bairros e agora estão se acabando com chuva e sol, por isso pensei que antes de serem totalmente destruídas pelo tempo, elas poderiam ser utilizadas como cabines de livros nas escolas”, comentou.

A ideia do vereador é que esses espaços possam homenagear a fauna pantaneira. “Caso seja autorizado trabalhar com elas, vamos plotar as cabines com desenhos dos animais de nosso Pantanal, assim fortalecemos duas situações: incentivo à leitura e ensinar quais são os animais que podemos encontrar em nossa região”.

Apesar de ter 87 bancadas recolhidas, Guerreiro diz que qualquer quantidade doada pode ser trabalhada. “Podemos fortalecer a leitura nas escolas, nos supermercados, em vários locais. Tenho certeza que terão uma boa utilização em nossos projetos”, destacou o vereador.

Ronilço Guerreiro é fundador da Gibiteca Mais Cultura e atualmente coordena uma série de projetos de incentivo à leitura como Vanteca, Livros Carentes, Bibliotecas nos Terminais, Freguesia do Livro, entre outros.



1 visualização0 comentário